A música e a Tecnologia

Imagine, por um momento, se você recebesse um aviso dizendo que sua cidade ficaria por uma semana sem energia elétrica! . . .
Sim. Terrível! Eu mesmo ficaria perdido, louco da vida, imaginando quantos e-mails eu não veria, quantos 'recados do facebook' eu deixaria de responder, ou como o -Fernando Britto - Blog-  ficaria abandonado. 

Fato

Mas é fato que este medo é generalizado.
Todos vivemos nossas vidas tranquilos, confiando em nossos aparelhos eletrônicos, nossos celulares, notebooks, computadores; até mesmo numa cozinha não ficamos sem a 'tecnologia', seja para fazer café numa cafeteria, ou esquentar um prato de comida no microondas.
É óbvio que toda essa tecnologia nos mudou um pouco, e nos moldou em num novo modo de vida que é, hoje, bem mais dependente das 'ferramentas' do que em outras épocas.
No caso da música, já postei aqui várias coisas sobre a junção da tecnologia com os meios musicais, tanto para quem aprecia música (os iPod's e similares) como para os músicos em geral, produtores musicais. Já postei aqui no blog algo sobre esse assunto que você pode ver aqui:


Mudanças

A mudança no mundo da música, com a chegada da tecnologia, é extremamente grande.
Antigamente (bem antigamente - séc XVI, por exemplo) o único meio que se tinha para ouvir e conhecer música era ir a um teatro, ou a qualquer lugar onde haviam músicos tocando e cantando. Não haviam gravações; fitas K7, CD's, LP's, tudo isso ainda nem passava pela cabeça das pessoas. Portanto o contato com o 'fazer musical' era muito mais direto do que hoje em dia. As pessoas tinham de estar lá; participar ativamente das atividades musicais, para que a música pudesse acontecer.
Mas num determinado momento, um simples gramofone, um aparelho que gravava o som e o reproduzia novamente, mudou completamente o rumo das coisas. Agora, seria possível ouvir aquela música que antes só poderia ser ouvida 'ao vivo'.

Gramofone, criado por Emil Berliner, em 1887

Fita K7, lançada pela Philips em 1963

O vinil, surgido em 1948, perdurou até meados do anos 80



Compact Disc, surgido na década de 90
Nossa comodidade aumentou. Hoje, eu posso colocar um  CD no CD Player e ouvir uma música sem ao menos levantar do sofá. Que conforto! Porém, enquanto se ganha de um lado, se perde de outro.
Todos sabem dos problemas da compactação do áudio, de como as frequências são 'cortadas', ou eliminadas (no caso das frequências baixíssimas e das agudíssimas). Logo, ganha-se conforto, perde-se em qualidade. Mas para muitos esse é apenas um detalhe insignificante, diante do fato que não nos reunimos mais como antes para ouvir música. Cada um no seu iPod (ou no seu 'quadrado'), e pronto. Posso estar com 10 amigos do lado e estarmos todos ouvindo músicas diferentes, graças à Tecnologia.
iPod, lançado pela Apple em 2001
O tempo já não é mais suficiente para ouvir um CD inteiro. Pulamos de faixa em faixa, acelerando a escuta, e por isso, detalhes passam desapercebidos. Infelizmente, hoje, é muito difícil 'parar para ouvir música'. Ouvimos música no trem, no carro, na rua, até em salas de espera; mas não conseguimos reservar um tempo parar ouvirmos música em casa; para apreciarmos aquilo que gostamos, simplesmente pelo prazer, sem estar realizando outra tarefa.

No fim, o que acontece? Ganhamos? Perdemos?
Nenhum dos dois. Avançamos! O que importa realmente é que se faça música com responsabilidade, com respeito. Que não percamos nossa admiração por aqueles artistas que sempre gostamos. Que a tecnologia não nos faça isolados justamente na 'era da comunicação, da informação'.

Não esqueça de deixar seu comentário; sua opínião é importante para nós!

4 comentários:

  1. Deixar de apreciar uma expressão artística por mera conveniência comercial não é um avanço, e sim uma regressão.

    ResponderExcluir
  2. a facilidade com que temos para procurar, achar e baixar qualquer música é maravilhosa, mas não sei se vale a pena ganhar em quantidade e perder em qualidade. Ganhamos, mas estamos perdendo muito. E a minha pergunta é : Por que a qualidade da música regride, e a da imagem melhora a cada dia??? A preocupacao com a qualidade de imagem é nitidamente mais importante...as pessoas só querem ver, não se preocupam mais com o que ouvem ...isso é definitivamente uma regressão.

    ResponderExcluir
  3. Eu paro para ouvir música!
    Ainda mais quando é novidade, para ouvir os detalhes e ler a letra.
    @Sabryne_Armani

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso aí Sabryne; ouvir música com 'atenção' é muito bom. Sempre podemos aprender mais e mais com uma boa música.

      Excluir

''A vida tem trilha sonora''