Musicalização infantil - como ensinar música para crianças!

Muitos me perguntam como ensinar música para crianças. E é uma pergunta muito interessante, porque mostra a preocupação do profissional em relação à formação musical da criança.
É fato que existem diversos métodos para ensina musical infantil, mas a grande pergunta é: qual é o melhor, ou ainda, qual é o mais adequado para cada situação?
-->
Embora seja um assunto musical, é quase impossível falar de musicalização sem falar em psicologia. A psicologia, hoje, nos permite entender e compreender os diversos problemas que enfrentam pessoas de todas as idades, crianças, jovens, adultos, quando se trata de aprender música.
Deve-se lembrar que a música é uma arte que mexe com todo o cérebro, ou seja, envolve o que chamamos de 'lado racional' e 'lado emocional'. Ao racional, estão as funções de rítmico (métrica, ou medições métricas); relações de alturas, intensidade, timbre, duração dos sons (propriedades fundamentais do som),
entre outras coisas. Já o lado emocional, ou, subjetivo, está a função mais complicada, que é abstrair de tudo isso que o 'racional' assimila, a parte musical, discursiva da música.
Assim como um texto, uma redação, uma história, a música possui um enredo próprio, e se apropria de todos esses parâmetros racionais citados acima para desenvolver e executar esse enredo.
Mas como passar todas essa informações para uma criança de 5 anos? Como fazer com que ela entenda tudo isso e possa traduzir em notas musicais no piano, violão, bateria, percussão, ou qualquer instrumento proposto?
Dentre os diversos métodos que existem para musicalizar crianças, um em especial me agrada muito, e quero
comentá-lo aqui.

[ Mais métodos de musicalização infantil em Musicalização Infantil - Raquel coelho ]

O método consiste em relacionar sons e alturas às cores (indicado para ensinar instrumentos de teclado).
Observe a imagem abaixo:


Na figura acima, há um teclado de 2 oitavas, com cores para cada tecla. Na verdade, as cores estão relacionadas às notas musicais, e, no caso deste exemplo, ficaram assim:



Numa postagem recente, falei sobre os acordes menos e maiores do teclado, e juntamente com os acordes do violão.

Teclado x Violão - Qual devo escolher?



Mas qual a função de relacionar as notas à cores?
Em primeiro lugar, é importante notar que quanto mais colorido for, a criança se 'envolve' mais com a atividade. Mas o mais importante, é que relacionando desta forma, você pode utilizar o método não apenas no piano, mas também na LEITURA MUSICAL, ou seja, para ensinar (aos poucos, claro) a criança a ler as alturas no pentagrama.

A partir do momento que está bem fixada a relação de cores e notas, a criança pode relacionar qualquer coisa que esteja nessas cores com a nota correspondente, ou seja, você pode aplicar as cores nas notas de uma partitura, e a criança irá ler as alturas de acordo com suas cores respectivas.
É óbvio que se deve tomar cuidado com exageros, ou seja, a partir do momento que a criança está bem treinada na leitura, ou na própria execução das músicas, as cores podem ser substituídas pela cor preta, fazendo com que a criança abandone o colorido pela leitura real das notas, tanto no pentagrama como no teclado.
Abaixo, você pode baixar o arquivo com o modelo do teclado, e as cores (círculos coloridos) para imprimir, recortar e colar nas teclas do teclado.

25 comentários:

  1. Olá gostaria de saber qual programa foi utilizado para fazer esse pedaço de partitura com notas coloridas! Eu precisava de um programa assim. Se poder me ajudar ficarei muito grata! Achei muito legal esse metodo para ensinar crianças.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá. Infelizmente não encontrei programa que fizesse isso, ainda! Estou à procura de um também. Editei a partitura no próprio Photo Paint do Windows Seven. Dá um pouco de trabalho, mas é possível.
      Obrigado pela visita; volte sempre.
      Fernando Britto

      Excluir
    2. Olá...
      tem um programa que se chama musescore..
      dá pra fazer a partitura e colocar as notas que quiser...é muito bom..
      espero ter ajudado..
      Até mais..

      Excluir
  2. olá
    eu nunca procurei essa opção por não trabalhar com esse tipo de material, mas é 99% de certeza que o programa Sibelius 7 faça isso. O único problema é crackear o programa. Talvez o finale faça também e é mais fácil de baixar e instalar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela dica Lucas. Utilizo bastante o Finale, mas ainda não encontrei essa função. Vou dar uma pesquisada. Obrigado pelo comentário. Fique a vontade para seguir o blog ou comentar.

      Excluir
    2. obrigado fernando!
      bom vou aproveitar para dizer mais: como editor particular eu recomendo o sibelius.....funções que demandariam um comando complicado no finale você o faz em um click no sibelius.....providencie e resolva sua vida
      em uma semana aprende-se facilmente o nível basico pro médio

      Excluir
  3. MuseScore! 0$
    http://musescore.org e Plugins -> Color notes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Yes, I saw this software do this. Thanks for the comment.

      Excluir
  4. Boa Tarde, gostei desse jeito de ensinar as notas, queria saber se tem algum jeito de ensinar as durações das notas.
    obrigado

    ResponderExcluir
  5. Fernando,

    Precisamos conversar... muito, muito mesmo. Vamos lá, de trás pra frente.
    1. o velho Encore faz isso, é simples, mas prefiro mostrar ao vivo (costumo dar aulas na movimento quartas e quintas a tarde, passe um dia lá)
    2. Esse método com cores pode ajudar pois introduz um outro símbolo dentro de um símbolo, mas ajuda muito pouco. É um pensamento antigo, de quase um século, e já está ultrapassado pois tem uma eficiência que se apóia na deficiência de se ensinar música sem música, ou seja, quando a criança tem que aprender música através da partitura e não da atividade sonora musical (mesmo que a leitura traga som ao ambiente, ela faz o contrário do que deve fazer a atividade de musicalizar, embora existam vários momentos propícios para utilizar a leitura como parte da atividade de iniciação musical).
    3. Essa separação entre o racional e o irracional está errada. Em todos os aspectos musicais existe uma apreensão mais racional e outras onde o nível de percepção não chega à racionalidade. Separar as “propriedades” da música da música em si, é uma concepção também muito atrasada, coisa do início do século XX, que infelizmente, continua sendo ensinada em muitas escolas oficiais brasileiras. Quer coisa mais racional que determinar auditivamente a forma musical? E a forma faz parte do discurso musical. Esse assunto é bem, mas bem mais complexo.
    4. Vou te indicar um pensador, que não criou um método (que inclusive utiliza vários métodos), mas que defende um conceito de educar através da observação de alguns parâmetros. Vou colocar aqui um trecho de uma entrevista, que é pouco, mas já dá pra vc ter uma idéia e ir atrás de maior profundidade nesse assunto. (vou publicar no próximo post senão excede os caracteres)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Teco, obrigado pela visita.
      Compreendo a sua intenção de apresentar ideias diferentes para este tema, que é imenso.
      Como deve ter percebido, não tentei indicar um plano de ensino absoluto, apenas uma dica pra quem tem de lidar com crianças e se deparam com dificuldades em ensinar a ''leitura''. Claro que separar propriedades 'sonoras', e da música, não ajudam para que se entenda o contexto geral da música, mas numa visão mais detalhista pode ser interessante discutir esses aspectos.
      O discurso musical é importante sim, mas a criança, à princípio, não compreende como 'discurso'. A forma se torna algo natural, a partir do momento que ela corresponde à isso de maneira intuitiva.

      Excluir
    2. Ah! Adoraria um encontro para discutirmos sobre esse assunto, ou outros. Creio que aprenderei muito mais. Aguardo este encontro.

      Excluir
    3. Boa tarde,
      Fernando estudo piano há 6 meses mas tenho musicalização desde os 12 por influencia de meu pai.
      Aprendi tocar violão por cifra e detestei o resultado, porque me tornei surdo com relação as notas.
      Já piano eu comecei a estudar por conta própria e senti dificuldades em memorizar as claves.
      No google (jogos na clave de Sol ou de Fá) existem joguinhos que facilitam a aprendizagem!!!
      Observe este video, vc acha que posso ser um pianista?
      http://www.youtube.com/watch?v=tJ60OylptjU

      Excluir
    4. Olá Julio. Existem muitos métodos ou mesmo 'estudos' para piano que ajudam para desenvolver determinadas técnicas, como por exemplo, o Microcosmos do compositor Bela Bartók (série de peças para piano do nível iniciante até avançado).
      Parabéns pelo trabalho, e continue estudando; com esforço e dedicação você vai longe.
      Obrigado pela visita e volte sempre.

      Excluir
  6. continuação do post anterior
    >>>>>>>http://revistaescola.abril.com.br/arte/fundamentos/entrevista-keith-swanwick-sobre-ensino-musica-escolas-instrumento-musical-arte-apreciacao-composicao-529059.shtml
    Como um aluno aprende Música?
    SWANWICK Procurei responder a essa questão por meio de uma pesquisa com estudantes de Música ingleses com idades entre 3 e 14 anos. Aprendi que o desenvolvimento musical de cada indivíduo se dá numa sequência, dependendo das oportunidades de interação com os elementos da música, do ambiente musical que o cerca e de sua Educação. Com base nessas variáveis, posso dizer que o aprendizado musical guarda relação com a faixa etária. Cada uma corresponderia a um estágio de desenvolvimento.

    Quais as características de cada um desses estágios?
    SWANWICK O primeiro vai até mais ou menos os 4 anos. Sua marca principal são experimentações, com as crianças batendo coisas e explorando as possibilidades de produção de sons de cada instrumento. No segundo estágio, que vai dos 5 aos 9 anos, essa manipulação já funciona como uma forma de manifestação do pensamento, dando origem às primeiras composições, muito parecidas com as que os pequenos conhecem de tanto cantar, tocar e escutar. As criações se tornam mais variadas e supreendentes a partir dos 10 anos, num movimento que chamo de especulativo. Em seguida, já no início da adolescência, as variações passam a respeitar os padrões de algum estilo específico, muitas vezes o pop ou o rock, "idiomas" em que é possível estabelecer conexões com outros jovens. Por fim, a partir dos 15 anos, é possível desenvolver um quarto estágio, que engloba os outros três, em que a música representa um valor importantíssimo para a vida do adolescente, marcado mais por uma relação emocional individual e menos por modismos passageiros ou algum tipo de consenso social.

    Que aspectos devem ser considerados no ensino de música nas escolas?
    SWANWICK O fundamental é que os conteúdos sejam trabalhados de maneira integrada. Nos anos 1970, resumi essa ideia na expressão inglesa clasp. Além de ser uma sigla, um dos sentidos dessa palavra em português é "agregar". Proponho que há três atividades principais na música, que são compor (a letra C, de composition), ouvir música (A, de audition) e tocar (P, de performance). Essas três atividades, que formam o CAP, devem ser entremeadas pelo estudo da história da música (L, de literature studies) e pela aquisição de habilidades (S, de skill aquisition). (No Brasil, esse processo ficou conhecido como TECLA: T de técnica, E de execução, C de composição, L de literatura e A de apreciação.)

    Qual a vantagem de trabalhar nessa perspectiva?
    SWANWICK Um ponto forte é considerar que todas essas coisas são importantes e que devem ser desenvolvidas em equilíbrio. A ideia do clasp também pode ser útil para o professor perceber se está gastando muito tempo, digamos, no L, descrevendo fatos históricos e desenhando instrumentos, por exemplo. Dar muito enfoque à história da música é uma forma simplificadora de achar que se está ensinando Música. Acontece que a história não é música - ela é sobre música. O mesmo excesso pode ocorrer com docentes que atuam na classe o tempo todo como intérpretes ou outros que apenas colocam CDs para a apreciação.<<<<<<<<<<

    Espero ter ajudado um pouco e não que você me veja como um chato intrometido. abs
    Teco Galati

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela dica. Se tiver mais algum material, pode me passar que, se for viável, posto aqui no blog como referência para estudantes de música.

      Excluir
  7. Gostei das dicas, parbéns pela iniciativa!!!!

    ResponderExcluir
  8. Ensinava violão somente para jovens e adultos.(MÉTODO CIFRADO) Mas estou mudando de idéia. Estou querendo ensinar também para crianças. Não sei por onde começar. Acho difícil pelas cifras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Lili, tocar 'cifras' (acordes) pode ser um pouco chato pra uma criança muito pequena. Em vez disso, tente ensinar alguma melodia simples, dessas músicas infantis mesmo. Ela aprende primeiro a gostar do instrumento pra depois gostar de estudar música mais sério. Boa sorte!

      Excluir
  9. AS CORES AJUDA MAS O METODO É UTRAPASSADO TER QUE LEMBRA QUE MUSICALIZAÇÃO É ENSINAR A DAR UM SENTIDO MAIOR COM O SOM.

    Chegar a essa consciência é fruto de uma entrega e um respeito muito grande pela criança, que é quem nos ensina os caminhos da aprendizagem. E o professor de musicalização deve estar sempre humilde para aprender com elas. Deve também estar sempre seguro da importância do que faz, e para tanto deve buscar beber constantemente nas fontes dos estudiossos da Educação Musical, que devem fazer parte do nosso planejamento e vivência em sala de aula. Professor de musicalização tem obrigação de conhecer, pelo menos, o pensamento e a obra de Orff, Kodaly, Dalcroze, Koellreutter, Murray Shafer, Suzuki. E incursionar pelos pensadores da educação musical brasileira também.essas palavras eu tirei de blog http://lumusicalizando.blogspot.com.br/2012/01/o-que-e-musicalizacao-infantil.html estou me formando em lencenciatura em musica na ufam e sei que é muito importante rever o que estamos ensinando para as crianças,pense nisso!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querido anônimo, concordo plenamente com você. O ensino musical para crianças não deve depender de 'muletas', como cores, ou objetos, mas diretamente na música. Mas infelizmente, hoje em dia, temos muitas pessoas que desconhecem métodos (também por falta de dedicação e estudo) e a obra do Suzuki, para termos um exemplo. Nesse caso, pessoas que ensinam música para crianças sem um conhecimento nem formação adequada, essa ideia de cores pode auxiliar um pouco. De qualquer forma, é importante deixar claro que isso serve apenas como método inicial, e não como ferramenta final de ensino musical infantil.
      Obrigado pelo comentário.

      Excluir
  10. Ola Fernando!!! Gostaria de saber se este ensino com cores existe pra violao, vi uma pessoa utilizando e gostaria de saber mais... obrigada abracos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Marcia, obrigado pela visita.
      Este 'método' de musicalização pode ser utilizado sim no violão, ou em outros instrumentos, já que se baseia na relação entre cores e notas. Eu ainda não encontrei nenhum material para violão, mas seguindo o mesmo sistema, você mesma pode desenvolvê-lo. Se quiser algumas dicas, pode me contatar por e-mail que esclareço melhor.
      Abraços

      Excluir
  11. Olá, tudo bem? Sei que o post já é meio antigo, mas ainda é válido... Só queria compartilhar o que tentei sobre este assunto, utilizando símbolos, cores, etc, como se fosse um jogo, para crianças que ainda não sabem ler... o mais legal é que elas aprendem MELHOR utilizando SOMENTE A PAUTA, sem enfeites... tenho uma aluna de bateria, de 5 anos, que em 5 ou 6 aulas lê e toca compassos simples de semínima, "bem dentro" do metrônomo... é só uma ideia, acho que quanto menos informações se misturarem, mais fácil e rápida será a compreensão. Obrigado pelo espaço. Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Felix, obrigado pelo comentário.
      Realmente o post é antigo. Eu mesmo tenho novas ideias a respeito deste assunto. Ainda assim, existem muitos livros sobre utilizar artifícios como estes para o ensino musical para crianças, e não podemos negar certa eficácia em alguns casos. Mas como você mesmo apontou, a pauta, simples e clara, é muito mais direta e fácil de se ensinar.
      Obrigado por compartilhar sua experiência. Abraços

      Excluir

''A vida tem trilha sonora''